Quem “hackeou” Sérgio Moro? O hacker fez mais uma vítima

“NÃO TENHO IDEOLOGIAS, SOU UM FUNCIONÁRIO DE TI’, DISSE SUPOSTO HACKER DA LAVA JATO”

Quem hackeou Sérgio Moro?” O Hacker que causou um enorme alvoroço no último dia 9 de junho, após a divulgação de conversas do ministro da Justiça Sergio Moro, está aos pouco “dando as caras”, e garante que teve acesso a conteúdos restritos, que em breve serão divulgados na mídia.

Foto reprodução: Sérgio Moro teve conversas divulgadas pelo suposto hacker.

O assunto se tornou público, após uma reportagem do site “The Intercept Brasil“. O Hacker fez mais uma vítima, o procurador militar Marcelo Weitzel. O ex-presidente da Associação Nacional dos Procuradores, José Robalinho, trocou mensagens com o hacker, que se fingiu ser o procurador.

Foto reprodução: Marcelo Weitzel, conselheiro do CNMP

O hacker enviou para Robalinho, um áudio trocado entre procuradores da Lava Jato, dizendo que aquele conteúdo em breve sairia na imprensa e mostrando espanto com o teor.

Nesse momento, Robalinho não notou que se tratava de um hacker, apenas ouviu o áudio e respondeu a mensagem de forma técnica, sem expressar sua opinião pessoal sobre o que era dito.

Explicou Robalinho: “Não havia nada demais no áudio. Respondi tecnicamente, explicando a quem eu pensava ser Weitzel”.

Quando o hacker percebeu que sua tentativa de colher opiniões críticas de Robalinho sobre a Lava Jato em Curitiba, havia falhado, ele revelou que não era Marcelo Weitzel que estava do outro lado, e escreveu na mensagem – “Um abraço do hacker”.

“Valeu, Marcelo”, respondeu Robalinho, acreditando que era uma brincadeira de Weitzel.

“kkkkk”, riu o hacker, completando: “Não sou o Marcelo. Sou o hacker. Quer falar comigo?”, perguntou.

Após perceber o espanto de Robalinho, o hacker prosseguiu com a conversa, dizendo estar indignado com a forma que a Lava jato foi conduzida, e afirmou que não tem lado político, e muito menos partido … e que trabalha como funcionário de TI (Tecnologia da Informação).

E disse mais: “Tive acesso a tudo”, sem revelar o que seria esse “tudo”.

A troca de conversas ocorreu na noite do dia 11 de junho, pelo Telegram. Por volta das 23h, o hacker parou de enviar mensagens; então Robalinho ligou para o celular de Marcelo Weitzel, que ficou surpreso ao saber que teria sido “hackeado”, e agradeceu pelo aviso.

Foto reprodução: Procurador regional José Robalinho.

Até o momento, Marcelo Weitzel não deu nenhuma declaração a imprensa, sobre o ocorrido.

Fonte da matéria: REVISTA ÉPOCA

Entenda mais sobre o assunto, e descubra por que o termo HACKER é utilizado de maneira errada, pela grande mídia. Veja o vídeo abaixo.

Hackers são criminosos? Qual a diferença entre “crackers” e “hackers”?

COMPARTILHE!